Conhecimento para uma bioeconomia sustentável

O Colégio F3 detém as competências necessárias para integrar glocalmente resultados de projetos ou programas de investigação e para os traduzir e comunicar a cidadãos e decisores políticos, usando uma linguagem adequada para alcançar diferentes públicos.

A integração, translação e comunicação do conhecimento deve ter âmbito nacional, e ser realizada em parceria com todos os atores e as entidades onde reside o saber e o saber fazer, estabelecendo relações de parceria e interagindo em rede para assegurar um modelo de efetiva transferência que produza soluções.

Ao interrogar as atividades dos projetos/programas sob a perspetiva de distintas áreas do conhecimento, e alimentar os projetos/programas com contributos que resultam da avaliação e do acompanhamento feitos pelos atores sociais que deles beneficiam, as competências residentes no Colégio F3 ajudam a assegurar que estes projetos/programas são verdadeiramente construídos com a participação dos utilizadores finais do conhecimento. As atividades promovidas visam também identificar e implementar atividades que mitiguem lacunas que possam estar a dificultar uma resposta eficaz aos objetivos propostos.

PARCERIAS PARA RESPONDER AOS DESAFIOS SOCIETAIS

O atual paradigma para criação de valor social beneficia de transdisciplinaridade na investigação, capacitação de equipas de pesquisa, bem como formação e desenvolvimento pessoal de quadros de I&D, a par do saber e saber-fazer comunicação de ciência. Sem estes alicerces, como garantir o sucesso da orientação em resultados e inovação multiforme?

O Colégio visa ser um parceiro de empresas e organizações do setor público e privado, respondendo aos desafios que lhe são colocados, tanto em questões de comunicação informada e independente com a sociedade, como no apoio técnico ao saber transdisciplinar e em atividades de formação ou desenvolvimento de novas soluções. O Colégio anseia também dar resposta a reptos lançados por jovens licenciandos, mestrandos, doutorandos, quadros recém-contratados e todos os profissionais que procurem adquirir novas competências essenciais no mercado de trabalho dos numerosos setores, direta ou indiretamente ligados à produção e transformação agrícola e florestal, bem como ao abastecimento alimentar, destacando-se em ações orientada para resultados, pela criação de uma bolsa de investigadores e formadores com valências distintas, em ciências sociais, naturais e engenharias.

Privilegiando o contacto direto com agentes e atores sociais, públicos e privados, com influência, jurisdição e exercício no âmbito da alimentação, agricultura e florestas, o Colégio F3 manifesta-se e assume-se como parceiro-catalisador, com reconhecimento junto da sociedade, nas seguintes seis ações-tipo, repartidas por dois nós da mesma linha nodal:

  • Eixo da coprodução de saber, saber-fazer, bens e serviços:

    • “Think tank”, num modelo de autonomia e independência do Estado e dos grupos de interesse, para coprodução de conhecimento efetivo e credibilização de produtos e serviços;
    • Desenvolvimento de produtos, processos e serviços orientados para resultados;
    • Experimentação e otimização de soluções para responder a desafios complexos (em “laboratório” ou na empresa/organização);
  • Eixo da distribuição: ações de formação e extensão:

    • Aconselhamento técnico-científico independente, integrado e participado;
    • Cursos de especialização com foco transdisciplinar em diversos níveis formativos;
    • Cursos de aquisição de competências para altos quadros.

As iniciativas promovidas por esta plataforma de sinergias e complementaridades inter-Escolas e Centros de Investigação, vem tornar possível um quadro novo de cogeração e translação de conhecimento.

Parceiros

f